terça-feira, 19 de setembro de 2017

Vera Lúcia de Angelis - OS ALICERCES CONQUISTADOS


OS ALICERCES CONQUISTADOS

Uma casa com luxo e toda comodidade desejada, nem sempre é garantia de felicidade.
Uma casa repleta de amor, cumplicidade e verdade, mas sem conforto pode também não ser suficiente para a felicidade.
Na verdade somos seres humanos com necessidades e complicações que atrapalham a valorização do que temos ou conquistamos.
Há aqueles que têm a habilidade para tirar leite de pedras e os que têm do bom e do melhor, mas não tem a sabedoria para transformar a comodidade em felicidade.
Uma casa há de ter conforto, independente das posses ou de luxo.
Há de ter um jardim para aqueles que privilegiam as flores.
Há de ter paredes sólidas para os mais precavidos.
Há de ter amor para os que trocam tudo pela harmonia de um lar bem construído.
Muitas vezes independe da casa como construção. Quando estamos tristes não há flores, nem pássaros, nem luxo que amenize as dores.
Noutras vezes as belezas e os bens materiais podem distrair dos problemas.
Porque tudo está associado às expectativas de cada um e a forma como se lida com elas.
Há os que lutam para conquistar o que sonham.
Há os que passam a vida olhando para o que não tem e se lamentando.
O que nos resta é construir alicerces dentro de nós mesmos para driblar as dificuldades e sair à luta.
A história da minha família mesmo, que é comum, mas para mim é um exemplo de conquista.
Meu pai deixou o bairro da Penha, na Zona leste de São Paulo, com progresso de ruas pavimentadas e iluminadas (tinha até um cinema na rua, há mais de 65 anos atrás) para vivermos num bairro novo em região distante: norte/oeste, onde conseguiu comprar um terreno que foi diminuindo conforme a casa foi crescendo. Primeiro quarto e cozinha, depois a sala, depois outro quarto, etc.
A casa avançando no terreno comprido, sem projetos, mas funcional às nossas necessidades.
Quanta areia e tijolos nós crianças e muitas outras do bairro ajudamos a carregar em troca de doces da venda, com muita festa e alegria, para nossa casa ou de outros.
Vimos chegar as guias, depois as sarjetas e bem depois o asfalto. Água de rua então bem mais tarde.
Mas a casa era pintada todo ano quando se aproximava o Natal, por obra de todos. Pais e filhas e a lembrança de lavar o quintal, já anoitecendo, quando terminava o serviço.
Impossível esquecer e não comemorar essas lembranças.
Essa casa que meu pai deixou de herança  ficou alugada durante uns anos e a renda dividida entre as filhas para finalmente ser vendida, sem remorso nem dor porque o amor continuou na gente na casa que cada uma das filhas conquistou. No dinheiro da venda, muito bem recebido e distribuído, veio também o amor da herança, além da harmonia entre nós que é mais valiosa que qualquer imóvel.
Acabo sempre meus textos com a fala do amor porque acredito nele, apesar de tudo de amargo que a vida nos ensina, mais para uns do que para outros.
E feliz de quem tem uma casa sua para arrumar, enfeitar e, acima de tudo ter amigos e parentes para poder compartilhar. Ou histórias felizes como da nossa casa que tenho de herança e orgulho para contar.
Vera Lúcia de Angelis



segunda-feira, 28 de agosto de 2017

TATIANA ROSTAISER PETTI - FIDELIDADE E FELICIDADE

Fidelidade e Felicidade

Por Tatiana Rostaiser Petti

Fidelidade se parece com felicidade. É só trocar um D por um C, alterar a posição do L e de duas vogais e pronto. Não só neste jogo de palavras, mas no jogo da vida também é assim.
A felicidade, acredite, vem quando se é fiel. Fiel com suas crenças – que podem sim se transformar com o passar dos anos e das experiências vividas e compartilhadas.
No Dia da Mulher, deparei-me com uma amiga citando várias das suas e listando o que aprendeu com cada uma. Eis a surpresa ao me encontrar na lista: “Agradeço minha amada Tati Petti por ser tão fiel aos seus valores”.
Então, a tal da fidelidade ser respeitada fez ainda mais sentido ao me deparar com o seguinte conceito: “A fidelidade a você mesmo é garantia da integridade da sua trajetória e também garantia da sua confiança em você. A fidelidade, que é respeito ao passado, acaba costurando relações de confiança e, com certeza, garantirão o seu futuro”. São palavras do filósofo Clóvis de Barros Filho em palestra em Itatiba no último mês.
A questão é: você tem sido fiel a você mesmo?
Deixe a fidelidade resultar em felicidade

Vera Lúcia de Angelis - A FIDELIDADE DE UMA GATA

A FIDELIDADE DE UMA GATA

O filme vai começar ronronava ela à medida que se enroscava nas pantufas macias da dona, vindas de um lugar que jamais conheceria.
Desistira há muito de identificar sua origem pelo olfato. Como identificar um lugar onde nunca havia pisado?
O filme começava e os pés da dona, encaixados nas pantufas de motivos Mickey Mouse, mudavam de posição conforme variava a emoção.  Encolhiam-se para chorar, agitavam-se para gargalhar ou esfregavam-se para aquecer os pés nos dias de muito frio. Às vezes saltavam quando a dona ia ao banheiro ou atender à campainha, fosse da porta ou do aparelho em sua mão que emitia sons tal qual a tela vibrante do computador.
A tudo a gata enfrentava sem abandonar o seu posto. Enquanto a dona estivesse entretida no sofá lá estava ela fazendo- lhe companhia. Por puro instinto ou sabedoria  de gata fiel que entende de solidão como ninguém.  Não podia falar nem consolar os soluços decepcionados de sua dona, mas sabia estar presente aquecendo -lhe os pés e a alma com seu olhar enviesado e misterioso de solidariedade.
Só deixou de ser fiel quando o universo decidiu chama- la. Quis olhar para trás para vê-la e pensar o que seria da dona do sofá solitário? Mas o destino foi taxativo e ela partiu buscando outros pés onde se enroscar.  Outro coração a quem ser eternamente fiel ou a espera dela chegar ao paraíso e fazer-lhe festa retribuindo ao seu amor e fidelidade. 




NOTA: Sempre soubemos que os cães são considerados fieis ao homem e eu mesmo tenho uma história real sobre isto. Mas este texto surgiu porque fala de uma amiga minha e a partida de sua gata, recentemente. Triste ela comentou  comigo que a gata sempre fazia companhia a ela no sofá, uma fiel companhia, por isso decidi publicá-lo neste blog inspirando-me no tema FIDELIDADE

domingo, 20 de agosto de 2017

MIGUEL EVANGELISTA REGIS - FIDELIDADE DEPENDE DE QUEM?



FIDELIDADE DEPENDE DE QUEM?
Miguel Evangelista Régis (19/08/2017)

            Pode  confiar em mim. Isto é o que mais se ouve entre as pessoas. Porém, muitos não imaginam que este compromisso de fidelidade traz consigo outros componentes como honestidade, integridade e lealdade.
            Anônimus fez uma grande descoberta para si mesmo. 
            Anônimus se emocionou no casamento de  Fidelis Lealdade.  O noivo de mãos dadas,  trocava olhares emocionados com a noiva e fazia as tradicionais promessas:  vou te amar e cuidar de você nos bons e maus momentos, na saúde e na doença,  na alegria e na tristeza, na riqueza e na pobreza. E finalizou:  até que a morte nos separe.
            Antes que a morte chegasse. E ela não chegou. Dois  anos após o casamento, a esposa ‘adorada’ de Fidelis Lealdade  sofreu traição do  marido. Ela o flagrou nos braços de sua melhor amiga do escritório em que trabalhavam.
            Anônimus sempre se empolgava nos dias de eleições e dava seu voto a determinados políticos em confiança pelas promessas feitas por eles. Na última eleição ele prestou muita atenção às promessas de Fidelis Honestidade,  seu candidato favorito.  As principais promessas: “Vote  pela mudança”; “Vou  melhorar a saúde, segurança e educação”; “Vote no candidato mais honesto”.
            Os maus exemplos de malversação do dinheiro público e as imagens de maus políticos nas mídias flagrados com roubos, mala de dinheiro para fins não explicados, desvios de verbas da  educação, saúde e segurança deixaram uma baita desilusão em Anônimus.    
            Ele resolveu não mais buscar nos outros modelos de fidelidade,  honestidade, integridade e lealdade. E tomou uma atitude: continuar  fazendo a sua parte sendo fiel a seus princípios e cumpridor de suas promessas,  independentemente  do cumprimento das demais pessoas.






quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Nilse Bernal Fragoso - Fidelidade

Texto de Nilse Bernal Fragoso sobre o tema FIDELIDADE


FIDELIDADE

Com base em informações obtidas na internet:“Fidelidade é o termo com origem no latim fidelis, que significa uma atitude de quem é fiel, de quem tem compromisso com aquilo que assume. É uma característica daquele que é leal, que é confiável, honesto e verdadeiro.““
Ao meu ver devemos ter fidelidade à bandeira brasileira. a nossa nação, ao povo e aos contribuintes.
Precisamos que todos tenham noção dessa palavra, dentro de casa e nos vários setores que englobam nossa vida em sociedade. Fidelidade financeira, não usurpar nada, nem ninguém.
Deus é fiel, não pode negar-se a si mesmo, cuida com amor dos seus filhos. Deus também espera isso deles e nos ensina a ser fiel a Ele, não 
trocando-o por falsos deuses.
“A expressão inglesa, "Wireless Fidelity" (Wi-Fi), que significa "fidelidade sem fio", em português, é uma tecnologia da comunicação, transmitida através de frequência de rádio, ou infravermelho, que permite o acesso à internet, estando o dispositivo móvel dentro da área de abrangência da rede. A expressão Hi-Fi é uma abreviação de High Fidelity, que significa "Alta Fidelidade", e era uma característica de alguns aparelhos de som, indicando que o som reproduzido é fiel.
Cópia fiel acontece quando não há fraude, na reprodução de um documento.
Enfim esse termo pode ser usado de várias formas e não somente em uma relação de amizade e amorosa.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Tatiana Rostaiser Petti - Aepti - 20 anos

Título: Aepti - 20 anos

Incentivo é o sobrenome da Aepti.

Foi através dele que me envolvi,
Foi através dele que me envolveram.

Incentivo a escrever,
A compartilhar,
A encantar com palavras.

Incentivo a mostrar a produção
E continuar produzindo
Sem amarras.

Assim como, de grão em grão,
A galinha enche o papo,
A cada texto e a cada pintura,
Os participantes engrandecem o ato
De mostrar à sociedade
Quem somos de fato.

Trabalho de formiguinha
Com voluntários munidos de amor
Deixando isso transparecer
Nas edições lançadas com louvor.

Envolver crianças neste meio
Torna-se essencial
Pois, assim como jovens e adultos,
Produzem um pensamento especial.

Não citar Maria Inês
Neste momento, é impossível.
Sempre doce e amiga,
Uma incentivadora imprescindível.

Continuando o legado de Andrei,
Hoje, por ela, lutamos pela Aepti.
E faremos com que esta Associação
Tenha sempre bons frutos e os celebre.

Por isso, a todo tempo,
Sem cessar,
A cultura, continuamente,
Vamos incentivar.

Salve a Aepti!

terça-feira, 25 de julho de 2017

Texto de Nilse Bernal Fragoso - tema de julho Férias

TIPOS DE FÉRIAS
                                                              Nilse Bernal Fragoso

Tirar férias, quem não quer?
Há várias formas de descanso. Tem gente que diz que precisa de férias dos pais, dos irmãos, do namorado, ou de alguma pessoa ou situação.
Geralmente,  as férias escolares deixam alguns pais de cabelo em pé, pois precisam se ajustar para cuidarem de seus filhos. E haja invenção para distrair a turma, fora as preocupações para que não se machuquem.
Quando é possível conciliar as férias dos pais com a dos filhos; se tem algum
valor em caixa e um bom lugar pra passear, aí a coisa melhora.
Por vezes é necessário férias das férias forçadas e mal planejadas,  podem acreditar.
Férias,  período de descanso, para se refazer as energias ou correr atrás dos filhos e netos e arrumação de inúmeras coisas que o dia a dia não permitem.
De qualquer forma, que possamos ter férias de pelo menos metade dos aborrecimentos, pois quem vive neste mundo atual, sabe que é preciso muito jogo de cintura para relaxar e usufruir de umas merecidas férias.